Ecossistema de Impacto, o qué e como funciona?

Ecossistema de Impacto envolve diferentes atores buscando novas e diferentes estratégias para suprir necessidades muito maiores e com propósito real.

O Ecossistema de Impactos engloba um cenário de possibilidades de inovação e transformação. Todo esse universo que ganha cada vez mais destaque nas pautas financeiras é uma cadeia voltada para construir um mundo verdadeiramente melhor.

Também chamado de setor 2.5, seu maior objetivo como movimento é gerar um impacto socioambiental ao mesmo tempo de resultados financeiros de forma sustentável em suas principais atividades como empresa. É um híbrido entre o segundo setor e o terceiro setor, pois não são dedicadas apenas ao lucro como as empresas do segundo setor e também não são organizações sem fins lucrativos, como o terceiro setor.

Na prática, essas empresas se configuram como organizações de várias naturezas jurídicas e que operam como negócio, pela lei da oferta e demanda, conhecendo seus públicos e impactos, oportunidades e riscos. Os projetos necessitam de bons modelos de negócios e não dependem de subsídios, mesmo que possam receber qualquer aporte pontual e/ou não reembolsáveis, como linhas de fomento.

Três principais grupos são os pilares desse ecossistema:

*crédito: Kaleydos

 

Demanda de Capital: empreendedores que necessitam dos recursos para pôr em prática seus projetos, os negócios de impacto.

Oferta de Capital: atores que alocam recursos a empreendedores, como Governo, Organismos Nacionais de Fomento, Organismos de Crédito Multilaterais, Setor Privado, pessoas físicas e Instituições de finanças comunitárias.

Intermediários: atuam na conexão entre investidores e empreendedores, com objetivo de apoiar/investir/dar consultoria para acelerar o desenvolvimento e ação dos negócios de impacto, como as aceleradoras, incubadoras, assessorias de gestão, finanças, investimento e monitoramento, certificadores, entre outros.

 

Há alguns meios onde podem ser alocados alguns recursos para fazer rodar esse setor, como fundos de investimento (focados para os ESG), investimentos com objetivo de retorno financeiro, filantropia, crowdfunding, empréstimos e fundos sociais, linhas de fomento para inovação, microcrédito, entre outros.

Em meio a um período conturbado para quase todos os mercados com o avanço da Covid-19, foi necessário repensar diversos modus operandi considerando mais as questões ambientais, sociais e de governança das empresas. Os debates e iniciativas como os ESG e a implementação dos 17 ODS da ONU também aceleram esse processo e trazem mais espaço e necessidade de ações e soluções sustentáveis para a economia.

Por fim, o Ecossistema de Impacto pode ser resumido a investidores, setor público, dinamizadores, comunidades, grandes empresas e os negócios de impacto buscando novas e diferentes estratégias para suprir necessidades muito maiores e com propósito real. Não se trata mais de lucro e sim pessoas. É movimentar toda uma cadeia, fortalecendo, capacitando e conservando a sociedade e o meio ambiente e também promovendo o empreendedorismo e inovação no país.

 

Prêmio Impactos Positivos 2022

O Prêmio Impactos Positivos é a vitrine de iniciativas que estão direta ou indiretamente participando da transformação e fomentação do ecossistema de impacto do nosso Brasil. Somos uma plataforma digital exclusiva para estimular o entendimento, reconhecimento e a valorização desse setor.